Páginas

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

O que me motiva


Quando decidi criar o Blog, antes de começar a trabalhar, pensava nas muitas histórias que teria pra contar.

No início, as coisas fluíam naturalmente, afinal, tudo era novidade.

Pensei em criar uma ferramenta que aproximasse a atuação policial de pessoas que não possuíam essa proximidade com a profissão.

Algo que desmistificasse algumas coisas.

Com o passar dos dias, tornou-se mais difícil continuar escrevendo.

Faltava motivação.

E por um mês eu cheguei a parar de escrever.

Continuava acessando para ver o número de visualizações.

Percebi que, mesmo parando de escrever, as pessoas continuavam acessando, continuavam comentando e, inclusive, perguntavam por mim, preocupados com minha ausência.

Essas coisas mostraram que as pessoas se importavam com o que eu escrevia e foi motivador.

Já tenho amigos virtuais, pessoas que comentam constantemente.
Cito alguns: o Jeolopes, o Fábio D., o Junior Silva, o Papa Charlie, a Vivi Lemos, o Marcus, o Alex, o Serginho Baiano, a Aline, a Lia Fonseca, o Rattes C, o Vicente, a Ana, o Bidias, o Baiano, o Caio, a própria Tanise Pes que contribui com postagens também, enfim, são muitas pessoas.

Cada um contribui de uma forma, motivando, elogiando, criticando, complementando informações, contando suas perspectivas com a profissão.

Hoje, recebi um grande relato de uma nova leitora, a Karen Pereira.

O simples fato de escrever tudo o que ela escreveu, me deixou lisonjeado.
Segue o texto:

“Meu maior sonho é ser delegada. Claro que não é um sonho desde criança. Foi uma coisa que nasceu e foi crescendo aos poucos em mim até chegar no estágio atual, onde praticamente tudo o que eu faço é visando atingir esse meu sonho de seguir essa carreira algum dia. 

É claro que, admirando tanto essa profissão que um dia desejo seguir, eu tentei conversar ou pelo menos tentar algum contato com policiais para tirar algumas dúvidas que eu tinha e para conhecer um pouco mais da rotina de trabalho e etc. Tudo pela internet, claro, porque pessoalmente não conheço nenhum.

Primeiro comecei a conversar com uma inspetora que trabalha no DEIC e é professora na ACADEPOL. Ela era cordial comigo, mas procurava deixar claro que não queria muita proximidade comigo. Entendi ela, a gente nem se conhecia direito e policial é desconfiado mesmo. Depois fiz amizade com duas delegadas (uma trabalha na DEAM de Passo Fundo e outra na DEAM daqui de Porto Alegre) num site pra pessoas que gostam de ler - skoob - e começamos a conversar. Faz tempo que não falo com as duas e o contato diminuiu ainda mais quando eu exclui meu facebook por conta dos estudos pro vestibular, mas a gente praticamente não falava da Polícia, e eu também procurava nem perguntar porque não queria que se repetisse o episódio da inspetora. Então deixei as coisas como estavam, mesmo na minha cabeça ainda tendo dúvidas sobre muitas coisas.

Hoje entrei aqui no orkut (coisa que nunca faço) e entrei na comunidade (coisa que faço menos ainda) e vi teu tópico. Poxa, nem sei o que dizer. Apenas gostaria de ressaltar o que muitos já disseram aqui: teus relatos são de extrema importância
, ainda mais para quem tem o sonho de seguir a carreira policial, como eu. Sei que a rotina de policial é complicada, sei como é puxado acordar de madrugada para as operações ou para o plantão, mas mesmo assim, peço que sempre que tu puderes, continue a relatar tuas experiências e esclarecendo alguns pontos da profissão em teu blog. É muito importante, tanto para quem tem o sonho de ser policial quanto para as demais pessoas terem uma outra visão da profissão. Tu não tem noção do que já ouvi de muita gente ao falar que queria trabalhar na Polícia... "ah, é muita corrupção", "tem mais bandido lá do que na vila" e outros absurdos que nem vale a pena comentar.

Enfim, eu sou nova ainda (17 anos), prestei meus primeiros vestibulares há pouquíssimo tempo - passei em Direito na PUCRS mas não pude me matricular porque não tinha condições de pagar a primeira mensalidade (quase R$ 1.400), prestei esse último vestibular da UFRGS mas acho que não passei por questão de míseros pontos (fui muito bem nas humanas mas péssima nas exatas e como Direito é concorrido pra caramba não adianta ir bem em tantas matérias e mal em outras) e com a média que eu fiz (usei o cálculo de média harmônica no site do Universitário) dava pra passar em vários outros cursos, mas o que quero mesmo é Direito. Me inscrevi no Prouni e só não conseguirei a vaga (pelo menos não em primeira chamada) por - acredite - 0.98 pontos de diferença com o último classificado.

Então, esse ano é estudar mais caso eu queria ingressar na faculdade de Direito e futuramente poder realizar meu sonho. Como eu disse, sou nova ainda, posso mudar de ideia, nunca se sabe o que vai acontecer amanhã, mas todo o esforço que tenho feito atualmente é visando realizar meu sonho e ler os relatos de um policial e ter a oportunidade de conhecer mais da profissão é muito motivador e me proporciona ainda mais estímulo em seguir em frente com meus objetivos.

Muito obrigada, mais uma vez, e que tu sejas extremamente exitoso em sua carreira. Sucesso!”

Finalizando, eu é quem agradeço a cada um de vocês.

9 comentários:

  1. Valeu pela lembrança parceiro. Seu blog é muito bom. A maioria apenas visualiza e nada posta por preguiça e tals. Mas, espero que continue animado a contar os casos.... Logo estarei na acadepol, estou aguardando a convocação pro médico da pcerj. Se precisar de alguma ajuda pode contar comigo. Jeolopes@yahoo.com.br

    Abraços e fique com Deus.

    ResponderExcluir
  2. Seu blog é alem de tudo motivador, acredite, tenho um sonho em ser policial civil , estou estudando e correndo atrás, fazendo minha parte, irei prestar concurso em tres estados esse ano.

    é muito importante conhecer a rotina de um policial, para nós que temos isso como objetivo de vida, peço encarecidamente que nao deixe de escrever, pois nem sempre comento mas vejo todo dia seu blog, é um dos meus favoritos, e olha que fica na barra inicial do navegador ein rsrs Abraço !

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pela lembrança Luiz,
    nós o motivamos a escrever e você nos motiva a ler, é uma troca onde ambos os lados saem ganhando.

    Abração parceiro.
    Fábio D.

    ResponderExcluir
  4. Olá Luiz Eduardo, aqui é a Karen Pereira.

    Primeiramente, é uma alegria imensa saber que minhas palavras contribuem como incentivo pra ti, sendo que as suas também contribuem da mesma forma pra mim.

    Apesar de ter conhecido teu blog há pouco tempo, já li todas as tuas postagens que ajudaram a esclarecer muitas dúvidas que eu tinha, dentre elas sobre a locação dos novos policiais, que era um dos maiores "tabus" que eu tinha com relação a profissão.

    Assim como tu, caso algum dia eu passe no concurso, também não desejo ficar longe de casa (moro em Guaíba), mas também acho interessante a ideia de ir para lugares um pouco mais remotos, me aventurar por cidades que não conheço, o que renderia ainda mais aprendizado. Claro que também receio a adaptação e tudo mais, mas acho que deve ser um ponto a ser considerado.

    Lendo teu relato, eu vi que há possibilidade de escolher a locação. Eu pensei que era a própria chefia de Polícia quem fazia isso, ou o setor administrativo ou algo assim. Então dá pra escolher mesmo? Mas só dá pra escolher a cidade, né? Não dá pra escolher uma delegacia/departamento específico, né? Ex: "Ah, quero trabalhar no DENARC". Tu sabe como funciona a locação nesses departamentos?

    E é verdade que a estrutura aí no interior é melhor? Trabalhar aqui na Região Metropolitana é bom porque está perto da capital e de tudo o mais, mas além dos índices de violência serem muito maiores aqui (pelo menos ao meu ver), a infraestrutura é bem pior. Está melhorando um pouco agora, inauguraram aquela central de polícia moderna lá em Canoas, mas aqui em Guaíba, por exemplo, a coisa é triste.

    Caso não possa responder/comentar alguma coisa, por conta de sigilo ou algo assim, não se preocupe, viu? Desculpa o incômodo.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  5. Muito obrigado pela lembrança meu amigo!! Estou aqui como Jeolopes, aguardando a convocação pro médico da PCERJ... Ansiedadeeee boaaaaa de começar logo!!!
    Grande abraço!!!

    ResponderExcluir
  6. Grande Luiz, obrigado pela lembrança. Visito sempre seu blog e, às vezes, devido ao nó na garganta, nada comento.

    Meu sonho/foco não é ser Policial Civil, Luiz. Sonho em ser Oficial de Inteligência da Abin. Esse ano deve sair o concurso. O último foi em 2008.Imagine a ansiedade.rs

    Mesmo assim, gosto muito de ler os seus relatos. Me inspira, me motiva. Ao ler os seus relatos sobre suas operações, me imagino fazendo as "minhas". Assim, me sinto mais perto, mais próximo do meu sonho.
    Grande abraço e muito obrigada.

    ResponderExcluir
  7. Luiz, bom saber que eu motivo você nesse projeto! Seu blog é excelente!

    É ótimo de todos os jeitos, motiva você a realizar um trabalho cada vez melhor, você se sente reconhecido e ainda incentiva outras pessoas que têm como objetivo de vida o trabalho policial.

    Uma idéia para os próximos posts: hino da Polícia Civil do RS.

    Karen Pereira, não sou o Luiz, mas li seu comentário e resolvi responder a parte do seu questionamento. Sobre lotação, normalmente aparecem as regras no edital. Em geral, depende da nota final do curso de formação na Academia. Pelo menos no Rio de janeiro, sem dúvida, na capital a estrutura é muito melhor, mas claro tem mais trabalho.

    Alex, cuidado para não se decepcionar. Não pense que a Abin é igual a CIA, Mossad... rsrs Atividade de Inteligência no Brasil precisa se desenvolver e muito! Começando como se faz o ingresso. Nunca vi um espião fazer concurso público, só no Brasil mesmo. rsrs Eu conheço a estrutura, já fiz um curso de Análise na Abin. Quem faz concurso só trabalha internamente, passa o tempo todo na internet (ações de coleta, análise de inteligência) ou em trabalhos administrativos. Apesar de não ser como CIA, Mossad, algumas vezes é necessário fazer ações de busca (operações de inteligência), aí, apenas os militares são empregados, que tem adestramento adequado para esse tipo de trabalho, e claro, se preciso, sabem lutar e usar arma de fogo com excelência.
    Sou Inspetor de Polícia do Rio lotado na CINPOL.

    Abraço!

    Papa Charlie

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Papa Charlie, obrigada pela atenção. Que legal saber disso, eu pensei que não havia opção de escolha.

      Aqui a realidade é bem diferente: a infraestrutura do interior é muito superior a que é encontrada na região metropolitana. A única exceção pra mim é aquela central de Polícia inaugurada há pouquíssimo tempo em Canoas. A foto da fachada do prédio já diz tudo:

      http://2.bp.blogspot.com/-miNZ3avZS0Q/T80qqTtDoqI/AAAAAAAAAG8/qNn7W_Y1LbI/s1600/maior_Delegacia.jpg

      Mas é uma exceção. As demais delegacias da região são sofríveis, sem falar que a demanda de trabalho é muito maior porque a violência aqui também é mais alta.

      Excluir
  8. Olá Luiz! Agradeço pela lembrança!
    Como Alex comentou acima, na maioria das postagens fico com um nó na garganta e não escrevo nada...eu me antecipo, continuo estudando, mas não vejo a hora de aprender a nova profissão e entrar em exercício. Obrigada por dizer que nós o motivamos!
    Esteja certo de que suas palavras nos motivam muito também!
    Toda a sorte do mundo neste novo ano!
    Abraços

    ResponderExcluir